quarta-feira, agosto 30

Ainda tem solução


Surpresa - Coelhos e Ursos de Hyo-Jeong Kim

Terça-feira, 29 de agosto de 2006 - Noite vaga para hoje de manhã

Internacional 8 - Quarta-feira, 30 de agosto,21hs - Espaço Unibanco
(Reprise: 01/09 - 17hs - MIS)

Riza Kapitan/Capitão Riza - TUR/SUI - Tolga Dilsiz - 2005
To-KKI Wa Gom/ Coelhos e Ursos - COR Sul - Hyo-Jeong Kim - 2005
Run - ESC - Peter Mackie Burns - 2005
The Girl who did things she didn't like first - ING - Maki Yoshikura - 2005
Vacuum - ALE - Ralf Küster e Claude Pfeiffer - 2006
Allt man Vill/Tudo que você quer - SUE - Per Henefjord -2006
Maria with Vicent - ING - Fernando Tibeirini - 2005
Caracas - POL - Anna Blaszczyk - 2006

Sessão (boa) surpresa. na verdade pareço ter dado muita sorte até agora vendo apenas uma sessão completamente lamentável.

antes de entrar me deparei com amigos saindo dos latinos 3, e com boa impressão. o que vem de encontro à tese de ser, talvez, a melhor seleção do festival. Dan (Tonacci) ainda veio com aquele ar..meio frustrado "e pensar que estamos empenhando tanto esforço na cosntrução do nosso curta para entrar numa sessão com mais cinco, seis..ele acaba se perdendo no meio..é muito filme..prefiro entrar para uma mostra temática..sei lá..psicoanálise"

é uma pena que tenhas perdido a Internacional 8 para conversarmos sobre os filmes que se perdem. aqui, acho que não...ainda que tenha sido um grupo generoso onde há pelo menos dois MUITO BONS (para dizer o mínimo).

por sorte, ou azar meu trabalho só me dá tempo de ver uma sessão por dia. e, imagino, estar em 3 ou 4 por dia, vai te colocar em contato com talvez 32, 36 filmes...é uma overdose..filme é filme e cada qual é um peso (em kilos)..8 filmes (que foi o que vi hoje numa sessão de hora e vinte) já me parece um exagero..é de empapusar.

Riza kapitan, faz pensar na ligação que os turcos tem com o mar...impressionante na filmografia deles (assim como na japonesa) como a água é elemento recorrente. assim como as viajens..o diretor tinha uma boa idéia. corta e dirige com precisão..seco e objetivo..mas parece que no meio do caminho esqueceu-se o que estava fazendo lá ou acabaram as latas de filme, ou ele não sabia como trminar e fez a primeira coisa que lhe veio a cabeça. ainda que de fato o resultado final é stranho, mas longe de ser desastroso.

TO KKI WA GOM é tão bom, tão bom, tão bonito, tão.. que dá vontade de levantar e sair correndo da sala "Não..não quero ver, nem me interessa ver nada mais agora". O prológo com os protagonistas: ele de Urso distribuindo panfletos, ela Coelho fazendo dancinhas para vender historinhas em inglês. o encontro, os cortes o telefone anotado no pedaço de papel ...nosense e bonito. sério e cômico..romântico e patético (como é mesmo o amor) . um jeito meio Wes Anderson de ver o mundo. e o filme podia ter acabado ali, em três minutos , quando ele vira as costas e sai..ou em quatro quando tira sua fantasia de urso e volta para casa em planos, fade outs e ins e enquadramentos impressionantes (não..eles não tem nada de especial, a não ser para onde e como é direcionado o olhar, sem inventar, está tudo na altura e na perspectiva, no indireto um passo distante, só um)

mas segue e a gente se pega pensando..onde ele quer me levar depois de me tirar esse sorriso que não sai da cara? a montagem de som impressionante, para dentro da chuva ...batendo na janela ou no toldo...é nesse momento que o diretor comete o primeiro erro... (ou o segundo) mostra o rosto ou o suposto rosto dela. parece que vai tudo desandar. me senti afudando..uma tremenda decepção..mas Kim teve solução para isso. e a gente que já se afogava acaba pego pela ponta dos desdos do diretor em sus cortes e tempos de ação..(outro que sabe o segredo). para em seguida te soltar..e quando você naufrago, acha que já ra, começa a ver o mundo meio água, meio céu...muito mais água..o bote salv vidas te resgata..como sempre em fade outs e fade ins (fade outs são definitivamente tristes)... e o plano final: A escolha perfeita. sim o cinema coreano tem salvação!

Run nada de impressionante...também teve a má sorte de estar ao lado de quem esteve. uma câmera interssante, muito documental...e tudo dentro da personagem central...despejado na ação de correr...nada de mais.

ainda bem que eu não sai da sala após o Coelhos e Ursos....se tivesse não teria visto a animação, delicada/sarcástica/cruel A garota que fazia primeiro as coisas que não gostava. se fiquei balançado às vezes por achar pouco sintético o coreano (mas com o plano final ele amarra tão bem a idéia que não há que pedir perdão por acusação tão leviana) aqui não tive nem tempo. zaz...um golpe de simplicidade, foi me ajeitar na cadeira para esperar a solução, e rushhh..como uma espadada samurai! e tão seco, tão seco, te pega tão de supresa que na dúvida entre chorar e rir, fazer os dois ao mesmo tempo por tristeza e/ou felicidade não é incoerente. Um desenho doce, parece pintura em papel com água (lembra da escola?)..e a menina uma obstinada que faz sempre as coisas das quais não gosta primeiro..até que um dia..bem..se contar chego no fim prontoacabou.

Vacuum faz juz ao título. usa uma bela citação de Baudrillard como desculpa para fazer um nada.

o sueco tudo o que você quer, é um bom exercício de direção de atores. nada mais que isso. para chegar a ser um bom filme falta muito..os escandinavos desde aquela babléla do Dogma 95 têm esquecido sistematicamente das utilidads sintáticas de uma câmera filmadora e as possibilidades de cada base (digita, dv, pelicula)...

Maria e Vicent é, como o próprio diretor qualificou um fato baseado em sonhos.. por si só torna a linguagem instigante. cheia de elipses, que faz e não sentido entre si, tempo e espaço completamente distorcidos..uma bela experiência...pena que lhe falta força, mas ao final, nem era para tê-la...belos enquadramentos..outro belo filme.

e por fim, Caracas é outra animação, linda linda...uma fábula visual, e mais uma vez, ele, o mar, é ator principal...uma mistura de técnicas de todos os tipos...tão gostoso que dá vontade de pular dentro ou de ajudar o marinheiro gigante a recosntruir sua náu.

que bela noite

*fazendo contas, cansado de segurar BOs e por fim dizendo adeus a Tortoise, ao New Order, ao Cardigans..aff*

2 Comments:

Blogger usrejects said...

Como eu queria ter visto essa sessão. Tokki Wa Gom parecia ser excelente mesmo.
Eu perdi porque estava assistindo a Latinos 3, logo antes. Pelo menos valeu a pena, porque foi realmente boa.
E ainda posso pegar a reprise da Internacional 8!

quinta-feira, agosto 31, 2006 1:40:00 PM  
Blogger usrejects said...

Ah sim:

Coréia Uber Alles!
Hahaha

quinta-feira, agosto 31, 2006 1:47:00 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home